Skip to content
5 plantas de interior recomendáveis em casas con alergia

5 plantas de interior recomendáveis em casas con alergia

Gostaria de ter a casa cheia de plantas, mas afasta essa ideia porque sofre de alergia? Talvez seja por até agora não ter escolhido as plantas adequadas.

Embora a alergia ao pólen seja a mais comum, nem todas as plantas causam alergia. Além disso, é recomendável ter plantas em casa, pois elas apresentam uma série de benefícios para todos aqueles que convivem com elas:

  • Purificam o ar à sua volta, já que absorvem o dióxido de carbono do seu ambiente transformando-o em oxigénio (exatamente o processo oposto ao que nós seres humanos realizamos).
  • Graças à sua capacidade de gerar humidade, as plantas ajudam a reduzir a eletricidade estática no ambiente.
  • Ajudam a regular a temperatura da sua casa, pois as suas folhas mantêm-se a 21 °C, a temperatura perfeita para a fotossíntese.
  • Ajudam a relaxar. Ao observá-las a crescer, florescer e finalmente a desenvolver-se, as plantas melhoram os nossos níveis de stress.

Agora que conhecemos as suas vantagens, só nos falta escolher as 5 melhores plantas de interior para as pessoas que sofrem de alergia.

O cato

O cato não só é inofensivo para quem sofre de alergia, como também possui uma qualidade quase única na sua espécie: absorve as radiações emitidas pelos aparelhos elétricos.

No entanto, a melhor característica dos catos é a sua manutenção, já que necessitam de poucos cuidados. Só precisam de uma rega muito esporádica, pois são capazes de armazenar água. Também se adaptam, sem problemas, às temperaturas altas e ao sol direto sem chegar a queimar-se. Finalmente, outra das suas vantagens é que se enraízam em praticamente qualquer superfície.

A palmeira de bambu

A palmeira de bambu, além de não causar alergia, também filtra os alergénios e outros compostos orgânicos voláteis prejudiciais à saúde, como o benzeno e o formaldeído, de tal forma que purifica o ambiente.

Tal como o cato, tem uma manutenção muito simples: só precisa de manter as suas raízes húmidas, mas não molhadas, e colocá-la num local onde esteja à sombra a maior parte do tempo.

A palmeira areca

A palmeira areca, também chamada de palmeira amarela, é o melhor humidificador natural que pode ter em casa, algo a salientar nas alturas em que o ar geralmente é mais seco. Tal como a palmeira de bambu, também purifica e elimina substâncias prejudiciais ao organismo, como xileno e formaldeído.

A sua manutenção é ainda mais fácil do que a palmeira de bambu. Só precisa de estar num local com sol indireto e ser regada de vez em quando.

O espatifilo

O espatifilo não só é inócuo para as pessoas que sofrem de alergia ao pólen, como também é benéfico para as pessoas que são alérgicas ao bolor, já que elimina os esporos desses fungos. Portanto, é perfeito para colocar em locais húmidos.

Tal como as plantas anteriores, o espatifilo reduz os compostos voláteis nocivos, como o formaldeído, o xileno e o tolueno. Mas, além disso, é capaz de eliminar a acetona e o benzeno.

É também uma planta de fácil manutenção: basta regá-la uma vez por semana e colocá-la num local onde receba alguma luz. Além disso, tem floração quase todo o ano.

A hera inglesa 

A hera inglesa é ideal para as pessoas que sofrem de alergias ou asma já que, como as plantas anteriormente citadas, elimina substâncias perigosas como o formaldeído, o tricloroetileno ou o benzeno. Além disso, esta planta elimina os odores e os componentes contaminantes dos animais de companhia, facilitando assim a convivência entre pessoas que sofrem de alergia e os cães ou gatos. Mas há um aspeto importante a ter em atenção: deve escolher a hera adequada, pois a maioria das suas variedades é venenosa.

Quanto à manutenção, a hera não precisa de muita luz; portanto, um local à sombra, embora com alguma fonte de luz, pode ser o ideal. A terra do vaso deve estar húmida o maior tempo possível e deve evitar correntes de ar ou perderá algumas das suas folhas.

PT-P-ZI-ALY-2000040

Deve ler cuidadosamente todas as informações constantes da embalagem do medicamento e do seu folheto Informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, deve consultar o seu medico ou farmacêutico.