Skip to content
alergia aos tampões e pensos

Alergia aos tampões e pensos

A higiene menstrual é uma parte muito importante da saúde da mulher; no entanto, alguns produtos concebidos para manter o bem-estar durante o período podem causar reações alérgicas em algumas pessoas, especialmente se forem usados de forma contínua. Preste muita atenção porque, neste artigo, vamos falar sobre alergia aos tampões e pensos, seus sintomas e como escolher aqueles que são seguros e livres de componentes tóxicos.

A importância da higiene menstrual e a utilização de tampões e pensos higiénicos

Durante a menstruação é essencial manter uma boa higiene para evitar infeções bacterianas e para manter uma boa saúde corporal, reprodutiva e sexual. De facto, a própria Organização das Nações Unidas considera que a possibilidade de ter uma higiene menstrual correta é uma questão que se enquadra nos direitos humanos.

É fundamental ter presente que, durante a menstruação, a zona genital muda de pH e fica exposta a certos microrganismos que podem aumentar a probabilidade de sofrer infeções, como a vaginose infecciosa. Da mesma forma, a utilização de alguns produtos inadequados, ou com materiais ou componentes nocivos e prejudiciais, pode aumentar o risco de dermatite e de algumas reações alérgicas, como veremos mais adiante.

A alergia e a sua relação com os produtos menstruais

Como já referimos, algumas pessoas podem sofrer de alergias e dermatite devido ao contacto com alguns produtos menstruais, os pensos higiénicos ou os tampões. Mas porque isto acontece? Como identificá-las e quais são os sintomas mais comuns?

Possíveis ingredientes ou componentes que podem provocar alergia aos produtos higiénicos para a menstruação

Certos produtos menstruais, especialmente os pensos ou os tampões, são fabricados com matéria-prima que podem fazer com que sejam absorvidos através dos órgãos genitais, tornando-se tóxicos. A exposição prolongada a estes produtos químicos pode ter efeitos adversos na saúde da mulher, incluindo o aumento do risco de irritação, infeções ou alergias.

Embora seja verdade que muitas marcas eliminaram em grande parte estas substâncias, alguns estudos como o realizado para Women’s Voices For The Earth revelam que algumas delas ainda estão presentes. Por exemplo, cloreto de metileno, acetato de etilo, metiletilcetona, hexano, tolueno, dissulfeto de carbono, heptano e hexano; além de celuloses, adesivos, fragrâncias, polímero superabsorvente, materiais não tecidos, asbesto, seda artificial, poliacrilato, plásticos sintéticos, compostos orgânicos voláteis, químicos e ftalatos, entre muitos outros.

Além disso, tanto os tampões como os pensos baseiam o seu funcionamento na absorção de fluxo, mas fazem-no de forma indiscriminada. Por outras palavras, absorvem tanto o fluxo menstrual como o fluxo que ajuda a manter uma flora vaginal equilibrada e saudável. Desta forma, podem secar a zona, impedindo a sua regulação e limpeza, favorecendo a irritação, os sintomas associados à dermatite e infeções.

Sintomas de alergia aos tampões e pensos: a dermatite vulvar

Os produtos de higiene menstrual podem desencadear dois tipos de dermatite vulvar: a dermatite de contacto irritativa e a dermatite de contacto alérgica. Embora semelhantes, existem algumas diferenças essenciais.

  • A dermatite de contacto irritativa (DCI) pode ser causada por vários fatores. Estes incluem o uso continuado de pensos higiénicos e pensos diários cuja parte superior é feita de plástico ou contém perfumes ou outros produtos químicos para mascarar os odores. Estes tendem a causar fricção e irritação, dificultando a transpiração adequada e aumentando a probabilidade de sofrer este tipo de dermatite na zona de contacto com o produto.
  • A dermatite alérgica de contacto (DAC), por outro lado, é desencadeada como resultado de uma sensibilização prévia a um dos componentes químicos acima mencionados. Enquanto a dermatite de contacto pode ocorrer uma vez de forma isolada, a dermatite alérgica pode tornar-se constante, evitando forçosamente o uso de materiais que contenham os ingredientes que causam a reação.

 

Alternativas aos tampões e pensos higiénicos

Hoje em dia existem cada vez mais alternativas aos tampões e pensos higiénicos que não contêm substâncias tóxicas nem nocivas para o organismo. Destacam-se em especial:

Copos menstruais.

Os copos menstruais são um dos produtos menstruais mais populares dos últimos anos. Consiste num pequeno copo flexível feito de materiais hipoalergénicos que é inserido na vagina, de modo a recolher o fluxo menstrual. Devido à sua composição e ao facto de não ser absorvente, mas apenas recolher o líquido, não altera a flora vaginal, não seca nem irrita a zona. Para além disso, a sua vida útil pode chegar até aos 10 anos.

Cuecas menstruais

As cuecas menstruais são, como o nome indica, um tipo de roupa interior concebida para absorver o fluxo menstrual graças aos tecidos de que são feitas. São geralmente compostas por várias camadas, sendo as que ficam coladas à pele de algodão. Desta forma, evitam-se problemas de irritação e de dermatite por contacto.

Pensos de pano

Tal como as cuecas menstruais, os pensos de pano são feitos de tecidos que não irritam a pele respeitando-a, como por exemplo o algodão. Por conseguinte, também não causam qualquer desconforto ou problema.

Já teve ou sofre de algum tipo de reação adversa a um produto de higiene menstrual? Lembre-se que, antes de tomar qualquer decisão, é melhor consultar o seu médico para um diagnóstico profissional.

 

PT-N-ZI-ALY-2300010

Deve ler cuidadosamente todas as informações constantes da embalagem do medicamento e do seu folheto Informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, deve consultar o seu medico ou farmacêutico.