Skip to content

Alergia aos ácaros do pó

ALERGIA AOS ÁCAROS DO PÓ

Os ácaros do pó são organismos microscópicos que se alimentam do pó da casa e da humidade do ar. São um dos alergénios de interior mais comuns e os sintomas podem estar presentes durante todo o ano.

Além da rinite alérgica, a alergia aos ácaros do pó também pode desencadear a asma e o aparecimento de eczemas. As pessoas com alergias aos ácaros do pó são as que frequentemente mais sofrem dentro das suas casas ou nas casas de outras pessoas. Curiosamente, os seus sintomas pioram frequentemente durante ou imediatamente após aspirar, varrer e limpar o pó. O processo de limpeza pode remover as partículas de pó, facilitando a inalação.

Recomendações e tratamento da alergia ao ácaro do pó: faça mudanças na sua casa e no seu comportamento. Retire os tapetes, cortinados e cortinas de parede, particularmente no quarto. Mantenha os animais de companhia fora do quarto e, preferencialmente, no exterior da casa. Minimize a humidade da casa. Use capas “à prova de ácaros” nos colchões e almofadas; lave a roupa de cama com frequência em água quente. Use uma máscara quando limpar. Mantenha a humidade relativa na sua casa abaixo dos 50%.

CONSELHO ZYRTEC:

Se as medidas para evitar os alergénios forem insuficientes, Zyrtec® pode ajudar a combater eficazmente os sintomas nasais e oculares da rinite alérgica sazonal e perene1. Para ser eficaz, é essencial respeitar a dose recomendada de Zyrtec®.

Sintomas da alergia aos ácaros

Os ácaros costumam estar presentes em todas as casas, acumulando-se especialmente em divisões como os quartos, onde ocorrem as condições mais propícias para o seu habitat. Os colchões das camas costumam ser o refúgio ideal que escolhem para se desenvolverem, sobretudo nas épocas em que a temperatura aumenta consideravelmente e os níveis de humidade são elevados.

Os ácaros são os principais responsáveis pela alergia ao pó na casa além de serem uma das causas de alergia mais frequentes atualmente. Entre os sintomas que surgem numa reação aos ácaros destacam-se os seguintes:

  • Entupimento do nariz
  • Secreção
  • Espirros e comichão (rinite)
  • Tosse
  • Dor e pressão facial
  • Pele inflamada sob os olhos
  • Comichão no nariz, garganta e céu da boca
  • Opressão no peito
  • Inclusive, momentos de asma brônquica que se caracterizam por uma forte dificuldade em respirar e uma intensa tosse que, por sua vez, pode provocar comichão nos olhos e lacrimação. 

Fatores de risco que aumentam a possibilidade de sofrer de alergia ao pó

Por outro lado, existem certos fatores de risco que aumentam a possibilidade de sofrer de alergia aos ácaros. Principalmente:

  • Estar exposto(a) ao pó: a exposição constante aos ácaros ao longo do dia, ou durante um longo período de tempo, aumenta a probabilidade de o sistema imunitário desenvolver uma resposta alérgica a estes organismos.
  • Ter antecedentes na família: as alergias são hereditárias, o que significa que se os seus pais tiverem alergia, tem mais probabilidade de sofrer também delas.
  • Ser criança ou adolescente: este tipo de reações alérgicas é mais comum em crianças e durante a adolescência e o início da idade adulta.

Como podemos controlar a alergia aos ácaros?

Ainda que não consigamos eliminá-la por completo, é possível controlar a alergia ao pó. Para isso, não há nada melhor que evitar, ou reduzir ao máximo, a exposição aos ácaros causadores desta reação seguindo uma série de passos simples, como os seguintes:

  • Utilizar roupa de cama anti-ácaros: cobrindo com ela as nossas almofadas e colchão para bloquear a passagem do pó ou dos alergénios para o nosso corpo. Este tipo de tecido especial evita que os ácaros do pó se expandam do colchão ou das almofadas para o resto da cama.
  • Lavar a roupa da nossa cama uma vez por semana: o ideal é lavar todos os lençóis, cobertores e capas das almofadas e do colchão em água quente (pelo menos a 60 ºC) para eliminar a maior quantidade possível de alergénios e ácaros do pó. Se a roupa não puder ser lavada a esta temperatura, outra opção é colocá-la na máquina de secar durante 15 minutos, a uma temperatura superior a 60 graus Celsius, para eliminar esses elementos. Além disso, congelar durante pelo menos 24 horas a roupa da cama pode ser uma grande solução para eliminar os ácaros do pó, ainda que esta ação não elimine os alergénios.
  • Manter um nível baixo de humidade: devemos evitar que a humidade ultrapasse os 50% dentro da nossa casa. Os desumidificadores ou ares condicionados podem ajudar a manter os níveis de humidade controlados. Além disso, também podemos adquirir um higrómetro que meça o nível da humidade ambiental na nossa casa.
  • Escolher a roupa de casa adequada: evitar comprar aquela que agarra o pó com facilidade ou que não possa ser lavada em água quente frequentemente.
  • Comprar brinquedos ou peluches com enchimento que sejam laváveis: para poder limpá-los frequentemente em água quente e eliminar assim o maior número possível de ácaros. O melhor é que mantenhamos este tipo de acessórios afastado das camas.
  • Limpar o pó: pode soar óbvio, mas uma das soluções mais eficazes para reduzir os sintomas a este elemento é eliminá-lo com frequência. Para isso podemos utilizar um pano húmido com água ou óleo para evitar que o pó se mova pelo ar depositando-se sobre outras superfícies.
  • Retirar os tapetes, alcatifas e cortinados não laváveis: este tipo de tecidos propicia um habitat ideal para a proliferação dos ácaros do pó. Isto acontece sobretudo em elementos como as alcatifas colocadas sobre cimento, já que favorecem a retenção da humidade. O ideal seria eliminar todos os tapetes da nossa casa e substituir a alcatifa por pavimento de ladrilho ou madeira.
  • Passar o aspirador com frequência: para eliminar o pó superficial. Para potenciar o efeito e eliminar maior quantidade de ácaros, podemos utilizar um microfiltro de dupla camada ou um filtro de partículas de ar de alta eficácia para assim diminuir as emissões de pó que o nosso aspirador produz.

Anti-histamínicos para a alergia aos ácaros

Os anti-histamínicos ajudam a aliviar os sintomas desencadeados pela alergia aos ácaros, graças ao facto de diminuírem a produção de histamina, uma substância química segregada pelo sistema imunitário perante uma reação alérgica. Por outras palavras, aliviam sintomas como espirros, comichão e gotejamento nasal, inchaço sob os olhos ou comichão na garganta, entre outros. Existem medicamentos anti-histamínicos não sujeitos a receita médica, como o Zyrtec, e em diferentes formatos, consoante a preferência de cada doente. O doente deve ler cuidadosamente as informações constantes da embalagem exterior e do folheto informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, deve consultar o seu médico ou farmacêutico.

Quanto tempo dura a alergia ao pó?

A verdade é que a alergia ao pó pode aparecer e ocorrer durante todo o ano, uma vez que estamos constantemente expostos a estas partículas. Poderá sentir mais sintomas no inverno porque tende a passar mais tempo dentro de casa, mas também é comum no tempo mais quente.

Além disso, é mais provável que os episódios alérgicos ocorram de manhã ou à noite, pois é nessa altura que se está mais em contacto com a roupa de cama e os colchões, que são propensos a acumular ácaros. Por outro lado, um episódio alérgico pode durar mais tempo do que uma constipação comum, chegando inclusive a uma semana. A melhor coisa a fazer é consultar um especialista se estas alergias aparecerem de forma contínua.

E durante quanto tempo o anti-histamínico faz efeito?

Os anti-histamínicos de primeira geração fazem efeito num curto espaço de tempo, cerca de duas a três horas no máximo. No caso de Zyrtec, o alívio dos sintomas é de até vinte e quatro horas.

Alergia aos ácaros: desfazendo mitos

Da mesma forma que em qualquer outra doença, a rapidez com que uma alergia é diagnosticada aumenta as probabilidades do tratamento que lhe for aplicado ser mais eficaz. Entre as causas menos conhecidas das alergias encontram-se os ácaros, que costumam viver entre o . Por isso, perante o panorama de desinformação que existe, é necessário acabar com certos mitos que rodeiam a alergia aos ácaros.

Principais mitos sobre a alergia aos ácaros

  1. A alergia aos ácaros não é perigosa

    Este é um dos pensamentos mais habituais entre a população. Contudo, a verdade é que é capaz de afetar a saúde alterando a qualidade de vida daqueles que sofrem deste tipo de alergia. Além disso, os episódios de asma graves são considerados uma das reações mais difíceis de controlar das que podem ocorrer entre os doentes com alergia.

  2. Podem-se ter animais de companhia em casa

    Um dos mitos mais frequentes reside na crença popular de que, ainda que possa sofrer de alergia aos ácaros, pode ter qualquer tipo de animal de companhia em casa. Contudo, o mais aconselhável seria não ter em casa animais de companhia que tenham pelo ou penas, já que os ácaros se alimentam dos resíduos provenientes das pessoas e dos animais como as escamas da pele ou a pelagem animal.

  3. O pó da rua e das obras também causa alergia aos ácaros

    Os ácaros só conseguem sobreviver sob condições ambientais específicas totalmente afastadas do sol e da secura causada por este. Se a temperatura rondar os 20 / 23 ºC e existir uma percentagem elevada de humidade, estão reunidas as condições perfeitas para a proliferação destes alergénios, que costumam ocorrer em locais escuros, húmidos e fechados, espaços que existem em abundância no interior das habitações.
    Os ácaros não habitam no pó da rua, da areia e das obras. Não obstante, este tipo de pó pode causar sintomas respiratórios incómodos devido à irritação direta que ocorre nas vias respiratórias e mucosas, mas não através do sistema imunitário, como é o caso da alergia aos ácaros.

  4. Este tipo de reações aumenta no outono e primavera

    Este pensamento é comum entre as pessoas alérgicas aos ácaros mas, na realidade, estas reações podem afetar quem sofre delas em qualquer estação do ano, sempre e quando se derem as condições ambientais necessárias. Uma casa que não esteja bem ventilada, na qual vivem animais de companhia ou que apresente problemas de humidade será um núcleo de ácaros inclusive nos meses de verão. Da mesma forma, um inverno que se caracterize por apresentar chuvas abundantes será pior para as pessoas com alergia do que um outono seco.

  5. Tomar medidas de prevenção ambiental evita a alergia aos ácaros

    Mesmo que as ações de limpeza no interior da casa sejam extremas, é impossível eliminar completamente os ácaros do seu interior. As medidas de prevenção podem ser benéficas perante o aparecimento de patologias como a asma, mas não são de grande utilidade no momento de prevenir que uma pessoa sem alergia desenvolva uma reação alérgica aos ácaros.

Deve ler cuidadosamente todas as informações constantes da embalagem do medicamento e do seu folheto Informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, deve consultar o seu medico ou farmacêutico.