Skip to content
alergia produtos de limpeza

Conselhos para travar os sintomas de alergia causados por produtos de limpeza

Muitas pessoas com alergia sofrem episódios fortes de rinite após uma boa sessão de limpeza em casa. Isso já lhe aconteceu? Este problema não se deve a uma alergia direta aos produtos, mas sim à hipersensibilidade aos mesmos que agrava as reações de outras doenças alérgicas, como rinite ou asma. Os produtos de limpeza (detergentes, ceras, sprays para madeira, etc.) geralmente contêm substâncias químicas que afetam muito as pessoas com alergias. Se quiser evitar estes episódios, tome nota de alguns conselhos.

O que é a alergia aos produtos de limpeza?

As alergias a produtos químicos ou conservantes estão a aumentar de forma incessante na sociedade. São cada vez mais as pessoas que sofrem de algum tipo de reação relacionada com produtos de limpeza ou componentes químicos. Hoje em dia, são muitos os doentes que procuram as consultas dos alergologistas por problemas relacionados com substâncias químicas presentes em detergentes, produtos de limpeza e higiene. Embora se trate normalmente de sintomatologia leve que agrava uma alergia comum, algumas pessoas utilizam estes produtos durante vários anos até descobrirem a origem do desconforto.

Alergia produtos de limpeza, que sintomas são os mais habituais?

Os doentes com rinite alérgica ou asma são os mais suscetíveis à presença de químicos em certos produtos. Principalmente com aqueles de odores fortes como a lixívia, o amoníaco, detergentes… Os compostos químicos e a agressividade de certos produtos podem causar comichão, ardor nos olhos, etc. Estes sintomas podem ser agravados se a pessoa sofrer de alergia ao pólen ou a outros alergénios semelhantes. Se alguma vez sofreu de algum destes sintomas enquanto limpava a casa, dê uma vista de olhos nos produtos que utiliza:

  • Secreção nasal
  • Comichão ocular e lacrimação
  • Tosse e dificuldade em respirar
  • Irritação cutânea

Em casos mais graves podem ocorrer náuseas, dor muscular, inchaço no rosto, desorientação ou fortes dores de garganta. Se os sintomas aumentarem, o mais aconselhável é dirigir-se rapidamente às urgências, pois neste caso pode tratar-se de uma intoxicação.

Conselhos para limpar e evitar os sintomas

Se os produtos de limpeza forem a origem do seu desconforto, diga basta! Tome nota destes conselhos e mude para uma alternativa mais natural.

  • Use luvas e óculos de proteção para evitar as reações cutâneas e o desconforto ocular.
  • Durante as tarefas de limpeza, a ventilação é fundamental. Inclusive vários dias depois, é recomendável ventilar os espaços com frequência.
  • Substitua os produtos agressivos por outras opções mais naturais e com menos componentes químicos. Compre produtos ou detergentes indicados para peles sensíveis ou produtos denominados como “hipoalergénicos”.
  • Utilize produtos sem corantes, amoníaco, acetona ou cloro. Por exemplo, os detergentes adequados para bebés ou à base de sabão puro costumam não conter produtos químicos ou perfumes nocivos.
  • Escolha produtos caseiros e crie as suas próprias soluções. O vinagre de limpeza é uma das melhores alternativas.
  • Substitua os aerossóis ou detergentes em espuma por produtos de limpeza líquidos ou em gel. Isso evitará que os alergénios ascendam rapidamente pelo aparelho respiratório.
  • Embora o mais aconselhável seja fazer uma limpeza quase diária da casa, as pessoas com alergias a certos produtos devem reduzir este hábito. Dois ou três dias por semana seriam suficientes.

A higiene excessiva melhora ou piora as alergias?

Certamente já ouviu em mais de uma ocasião que as crianças de hoje estão demasiado protegidas contra o mundo que as rodeia. Muitos cientistas defendem a versão de que a esterilização excessiva é contraproducente para a imunização contra determinadas bactérias ou infeções.  Sem o risco dessas infeções, o sistema imunitário fica “sonolento” e não ativa o mecanismo de defesa correspondente. O que contribui para um aumento incrível das alergias, principalmente na infância.

 

PT-N-ZI-ALY-2100030

Deve ler cuidadosamente todas as informações constantes da embalagem do medicamento e do seu folheto Informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, deve consultar o seu medico ou farmacêutico.