Saltar al contenido
Urticária a frigore alergia ao frio

Urticária a frigore ou alergia ao frio

Chega a época mais fria do ano e com ela a urticária a frigore. Já ouviu falar dela? Esta alergia ao frio é mais desconhecida do que outras urticárias ou alergias, mas para quem sofre dela é um verdadeiro incómodo.

A urticária a frigore afeta em maior escala as mulheres do que os homens e, sobretudo, pessoas jovens (menores de 30 anos). A exposição a baixas temperaturas provoca urticária, inchaço ou comichão. Embora não seja apenas o frio a produzir a reação, beber bebidas frias ou simplesmente segurar num objeto gelado, também pode causar o referido mal-estar.

Sintomas e reações

Este tipo de alergia é considerado mais ou menos leve, já que os sintomas costumam desaparecer, na maioria dos casos, pouco tempo depois.

Mas, como em muitas outras ocasiões, existem exceções. Alguns dos sintomas um pouco mais incómodos são: Inchaço das mãos, problemas respiratórios e inflamação dos lábios e garganta. Também é muito comum que em espaços abertos ou zonas nevadas as pessoas sofram de mal-estar geral, febre ou dores de cabeça, durante um longo período.

Se a exposição ao frio for intensa e prolongada, podem ocorrer sintomas muito graves, levando a pessoa a precisar de assistência médica imediata. Se, por exemplo, uma pessoa sensível ao frio, for tomar banho no mar ou num rio onde a água esteja com uma temperatura muito baixa, as possibilidades de sofrer um episódio de anafilaxia são muito elevadas. Pode, inclusive, provocar afogamento pela interrupção da passagem do ar nas vias respiratórias.

Tipos de urticária a frigore

Os traços da urticária aparecem na pele de forma muito variada. Indicamos as mais comuns para ser mais fácil a sua identificação:

  • Reflexa: a urticária mais generalizada. Costuma aparecer por todo o corpo sem nenhuma zona concreta. Aparece, por exemplo, em ambientes muito frios e quando a pessoa não se agasalhou com a roupa suficiente.
  • Localizada: encontramos a urticária apenas na zona que esteve em contacto com algo frio. Por exemplo, nas mãos, se estamos a comer um gelado.
  • Localizada reflexa: neste caso, a irritação aparece à volta da zona que esteve em contacto com o objeto frio.
  • Retardada: a reação aparece entre 3 e 24 horas após o contacto, ou a exposição ao frio.

Como tratar?

Em primeiro lugar, é necessário tratar as reações como uma alergia comum, através de anti-histamínicos que o médico indicar. Por outro lado podemos prevenir:

  • Evitar a exposição a temperaturas excessivamente baixas – Manter-se agasalhado.
  • Não deixar partes do corpo expostas ao frio.