Saltar al contenido
rinite viajar

Soluções para evitar que a rinite o afete quando viajar

A rinite alérgica é uma patologia que afeta fundamentalmente as vias nasais devido a uma prolongada exposição a um agente alergénio. Esta afeção ocorre como consequência de uma reação que o nosso corpo tem ante substâncias que não tolera e que são identificadas pelo sistema imunológico como maliciosas.

Entre os seus sintomas mais comuns destacam-se os espirros, a comichão do nariz e olhos, congestão, secreção aquosa nasal e inclusive sinusite. Por isso, se estiver a pensar viajar, é provável que estes sintomas se agudizem, pelo que o melhor remédio para evitar esta situação é antecipar-se a ela seguindo algumas recomendações como, por exemplo, as seguintes:

Antes de iniciar a viagem

A primeira opção que deve ter em conta se sentir algum dos sintomas anteriormente citados é consultar o seu médico de família ou alergologista profissional para l- que este lhe proponha o tratamento adequado. Uma vez realizado, o ideal é que prepare um pequeno kit-farmácia para levar na sua mala com todos os medicamentos necessários, acompanhados das suas embalagens e respetivas bulas, se viajar para o estrangeiro. Isso servirá de ajuda aos funcionários da alfândega para identificar os produtos que transporta.

Leve sempre estes medicamentos numa mala de mão para poder ter acesso a eles rapidamente em caso de necessidade, sobretudo se viajar de avião onde não poderá aceder à sua mala até que o avião aterre no aeroporto de destino. Além disso, se o seu sistema de saúde não cobrir as despesas médicas no país de destino, o melhor será contratar um seguro médico específico que possa cobrir todas as suas necessidades durante a viagem.

Também é muito recomendável que se informe sobre os valores do pólen da zona onde vai passar os seus dias de lazer, consultando os boletins oficiais de cada país. Lembre se que atividades como campismo, andar de bicicleta ou praticar desportos ao ar livre, durante a sua estadia, farão aumentar consideravelmente o seu contacto com o pólen, pelo que deverá ter estes aspetos em conta antes de realizar o planeamento da sua viagem.

Durante a viagem

Se vai viajar de mota, deverá pensar duas vezes já que durante as épocas de maior polinização esta poderá não ser uma boa ideia. Em vez disso poderá utilizar o carro, mantendo as janelas fechadas durante os trajetos para evitar que as partículas de pólen entrem para o seu interior. Certifique-se de que o veículo possui filtros antipólen a fim de poder desfrutar ao máximo das suas viagens.

Se viajar de avião e for atravessar várias zonas horárias deverá calcular -essa diferença horária com o objetivo de manter comstantes as tomas dos seus medicamentos -. Além disso, convém saber se o ar dentro dos aviões é muito seco. Nesse caso, poderá utilizar um aerossol nasal salino de hora a hora, a fim de ajudá-lo a manter as membranas nasais húmidas e, deste modo, proporrcionando-lhe uma viagem mais confortável.

Por outro lado, se além de rinite, sofrer de asma grave deve saber que as concentrações de oxigénio na cabina costumam diminuir a partir dos 35.000 pés aproximadamente. Isto poderá fazer com que necessite de oxigénio adicional, pelo que deverá avisar a companhia aérea com a maior antecedência possível, para não passar um momento menos agradável. Não se poderá negar o direito de viajar a nenhum passageiro por este necessitar de oxigénio de forma suplementar, mas deverá realizar a advertência de forma prévia para que a companhia possa ter tudo preparado para a sua viagem.

 

PT-N-ZI-ALY-1900009