Saltar al contenido

Porque há pessoas alérgicas e outras que não são?

Aproximadamente um em cada três adultos e metade da população infantil apresentam algum tipo de reação alérgica, segundo dados da Organização Mundial das Alergias (WAO – World Allergy Organization). O termo “alergia” é utilizado para fazer referência a todos os sintomas que se caracterizam por apresentar inflamações e desconforto nas zonas do nariz, brônquios, olhos ou pele.

Reações alérgicas: causas que as provocam

Uma reação alérgica pode ocorrer quando um alergénio, ou agente biológico externo, entra em contacto com o nosso organismo. Nas pessoas mais propensas, o alergénio faz com que o sistema imunitário reaja ante ele reconhecendo-o como um ataque ou ameaça para o mesmo, ocorrendo assim uma inflamação na zona afetada como mecanismo de proteção.

Neste sentido podemos classificar os alergénios em dois tipos: os inaláveis como é o caso dos pólenes, dos fungos, dos esporos ou da caspa de alguns animais como cães ou gatos, e os não inaláveis como alguns alimentos entre os quais se encontram o ovo, os amendoins, o trigo, as nozes, ou alguns peixes e mariscos; materiais como os metais, os cosméticos ou o látex e certos medicamentos como a penicilina. Assim, também entrariam no grupo dos não inaláveis os picadas de animais e insetos como as carraças, as abelhas ou as vespas.

Porque as alergias não afetam todas as pessoas da mesma forma?

O facto de algumas pessoas terem maior predisposição que outras para sofrer uma reação alérgica não depende de uma única causa, mas de uma combinação entre fatores genéticos e ambientais que podem desenvolver-se em qualquer momento da vida de uma pessoa.

Fatores genéticos

Herdamo-los dos nossos progenitores e não existe um só gene envolvido na responsabilidade de sofrer uma alergia, são vários os que atuam. Este tipo de fatores faz com que os filhos cujos pais são alérgicos tenham mais probabilidade de desenvolver uma reação, ainda que nem todos cheguem a desenvolvê-la por muita predisposição que os seus genes apresentem. Esta tendência hereditária que algumas pessoas possuem para sofrer reações alérgicas em função dos seus genes hereditários denomina-se atopia.

Fatores ambientais que afetam a alergia

Representam outra das causas fundamentais que propiciam o desenvolvimento de alergias no ser humano. Neste sentido, devemos ter em conta a higiene, o contacto com alguns animais, a exposição a infeções, a utilização de vacinas ou antibióticos, a poluição, o tabaco ou a alimentação entre outros.

O desenvolvimento a que o estilo ocidental nos levou e os avanços médicos e tecnológicos permite-nos ter sob controlo muitas patologias infecciosas que existem, o que favorece a diminuição das doenças deste tipo durante os primeiros anos de vida. Como consequência disso, o nosso sistema imunológico permanece mais inativo que o normal ao não ter doenças para lutar, o que faz com que o seu funcionamento não seja de todo correto e comece a proteger o nosso organismo de elementos a que nos expomos diariamente e em relação aos quais não nos deveria defender já que não implicam qualquer perigo para a nossa saúde.

 

PT-N-ZI-ALY-1900011