Skip to content
alergia-idade

Podemos desenvolver alergias em qualquer idade?

Porque é que cada vez mais adultos sofrem de alergia pela primeira vez? Embora o aparecimento das alergias se desenvolva principalmente nos dois primeiros anos de vida, atualmente o número de reações alérgicas em pessoas mais velhas aumenta de forma exponencial. As diferentes investigações não parecem encontrar um fator comum associado ao aumento de casos, mas destacam diferentes variáveis ​​relacionadas com o nosso estilo de vida que podem fomentar o aparecimento de alergias depois da infância.

O que causa alergias na idade adulta?

O aparecimento de alergias na idade adulta é um fenómeno atual que tem sido verificado nos últimos anos. Muitas pessoas associam este aumento de casos aos diagnósticos ou com os avanços médicos, mas além da antecipação e eficácia dos exames, existem outros fatores determinantes que desencadeiam este problema na vida adulta. Hoje podemos ver como pessoas na casa dos 30 ou 40 anos desenvolvem, sobretudo na primavera, sintomas associados a alergias que nunca tinham tido. As alergias podem ser causadas, principalmente, devido a dois fatores: a herança genética e o fator ambiental que acabam por desencadear a alergia em ocasiões excecionais, após vários anos.

O estilo de vida atual, um fator determinante

Existe alguma relação entre o progresso económico e social e o aumento das patologias alérgicas? As investigações mais recentes afirmam que existe uma certa ligação entre o nosso estilo de vida e o aumento das alergias na população mais idosa. Estes são alguns dos fatores que contribuem para o desenvolvimento de futuras alergias após a infância:

  • Mudanças na alimentação. Refeições preparadas, dietas pouco variadas ou o consumo de produtos com grande quantidade de aditivos e conservantes podem estar por trás do aumento das alergias. Atualmente, questiona-se se os níveis mais baixos de vitamina D e ácidos gordos ómega-3 podem estar relacionados.
  • Higiene excessiva. A hipótese da higiene, postulada pelo epidemiologista David Strachan em 1989, baseia-se na ideia de que a limpeza excessiva e o pouco contacto da sociedade atual com a natureza acabam por configurar um sistema imunitário ‘preguiçoso’. Ou seja, o nosso sistema, ao não ser treinado contra agentes patogénicos reais, pode acabar por se defender de outras substâncias, como os alimentos ou o pólen.
  • O stress. Muitas teorias afirmam que o aparecimento de episódios alérgicos na idade adulta pode ser causado pelo stress e pelo ritmo de vida da sociedade, o que pode enfraquecer o nosso sistema imunitário.
  • A poluição. As pessoas que vivem em grandes cidades, com muita industrialização e automóveis, sofrem mais alergias do que os habitantes das zonas rurais, inclusive aquelas com elevada concentração de pólen. Esta tendência tem a sua origem na chamada “teoria diesel”. A teoria afirma que as partículas procedentes dos veículos são capazes de captar determinados alergénios e facilitar a sua introdução no sistema respiratório.
  • Exposição a agentes alergénios no trabalho. Como consequência da sobre-exposição a uma proteína específica, algumas pessoas acabam por desenvolver uma reação alérgica após vários anos. Por exemplo, a síndrome ave-ovo muito comum entre os trabalhadores de aviários ou a alergia ao látex nos profissionais de saúde.

 

Descubra alguns conselhos para cuidar de si se sofrer de alergia na idade adulta e na velhice

A qualidade do ar, a limpeza e uma boa saúde são essenciais para combater as alergias na idade adulta, principalmente na velhice. Por se tratar de um grupo mais vulnerável, é importante estar atento aos problemas respiratórios.

  • Ventile a casa à primeira hora da manhã e de forma muito breve (5 a 10 minutos). Isso evita que o pólen entre.
  • Faça uma boa limpeza da casa e evite a acumulação do pó e restos de comida em casa.
  • Lave as roupas com que está em contacto direto com detergentes hipoalergénicos.
  • Use roupas confecionadas com tecidos naturais como o algodão ou o linho que favoreçam a transpiração e não sejam agressivas para a pele.
  • O descanso, o exercício e uma boa alimentação são fundamentais para fortalecer o sistema imunitário.
  • Manter uma boa hidratação da pele para evitar secura ou irritação na zona.
  • Por último, é importante realizar exames médicos regulares para ajudar a detetar novas patologias ou problemas de saúde.

 

PT-P-ZI-ALY-2100025

Deve ler cuidadosamente todas as informações constantes da embalagem do medicamento e do seu folheto Informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, deve consultar o seu medico ou farmacêutico.