Skip to content
Alergias e suplementos

Alergias e suplementos: o que saber

Nos últimos anos, o mercado dos suplementos alimentares registou um aumento significativo, impulsionado por uma preocupação crescente com a saúde e o bem-estar. Os consumidores de todo o mundo têm vindo a interessar-se cada vez mais por estes produtos e, em Portugal, 26% da população com mais de 15 anos tomou suplementos nos últimos doze meses. Os motivos para o consumo incluem a melhoria da saúde, o cansaço e a concentração, e razões estéticas. Assim, têm surgido novas tendências como a nutricosmética, que oferece soluções para melhorar a saúde da pele, do cabelo e das unhas a partir do interior.

No entanto, é importante que as pessoas com alergias alimentares consultem um profissional de saúde antes de tomarem qualquer suplemento, uma vez que estes podem conter ingredientes que podem desencadear uma reação alérgica. Neste artigo, dizemos-lhe que alergias podem ser desencadeadas pelos suplementos alimentares, tais como vitaminas e minerais, antioxidantes, complexos multifuncionais para ossos, articulações e músculos, assim como suplementos de proteínas, mas também discutimos como alguns suplementos ajudam a combater as alergias.

Suplementos que podem provocar alergias

A preocupação com a saúde é cada vez maior e os suplementos podem complementar a dieta, sobretudo quando existe uma deficiência nutricional, e ajudar a melhorar o desempenho físico e mental. No entanto, é importante salientar que eles não substituem uma dieta equilibrada e podem causar reações alérgicas em algumas pessoas. Alguns dos suplementos que podem causar alergias são o colagénio, o citrato de magnésio, os suplementos de proteínas e os multivitamínicos.

O primeiro passo para evitar reações alérgicas é conhecer os componentes dos suplementos que consumimos. Muitos suplementos podem conter ingredientes que, embora benéficos para algumas pessoas, podem causar reações alérgicas noutras. Por exemplo, os suplementos de proteínas contêm frequentemente entre os seus componentes leite, soja e ovos e, portanto, podem desencadear reações relacionadas com alergias alimentares.

Também é importante lembrar que as alergias podem ser sentidas ao longo do tempo. Mesmo que tenha tomado um suplemento durante vários anos sem qualquer problema, pode desenvolver uma alergia a este. Se sentir sintomas como erupções cutâneas, dermatite atópica, inchaço, dificuldade em respirar ou tonturas após a toma de um suplemento, é crucial que pare de o tomar e consulte um médico.

Alergia ao colagénio

O colagénio é uma proteína que se encontra naturalmente no nosso corpo e é essencial para a saúde da nossa pele, cabelo, unhas e articulações. Assim, os suplementos que contêm colagénio tornaram-se populares devido aos seus benefícios para a saúde, especialmente o colagénio hidrolisado na cosmética. No entanto, algumas pessoas podem desenvolver tanto alergia ao colagénio hidrolisado como à sua forma natural.

Os sintomas desta alergia variam de leves a graves. As reações leves podem incluir erupções cutâneas, comichão e desconforto estomacal. Em casos mais graves, uma alergia ao colagénio pode causar dificuldade em respirar, inchaço do rosto ou garganta e, em casos extremos, choque anafilático.

Alergia ao citrato de magnésio

O citrato de magnésio é composto por carbonato de magnésio e ácido cítrico, e permite ao organismo absorver o magnésio de forma mais rápida e eficiente. Este mineral é essencial para o funcionamento do corpo humano, e portanto, uma deficiência de magnésio pode ter um impacto no organismo. É nestes quando se recomenda tomar citrato de magnésio.

Este suplemento pode ajudar a aliviar as dores de cabeça, favorecer o relaxamento e a regeneração muscular ou ajudar na absorção do cálcio. No entanto, como acontece com qualquer suplemento, existe o risco de desenvolver uma alergia.

Os sintomas de uma alergia ao citrato de magnésio incluem erupção cutânea, comichão, inchaço do rosto ou garganta, dificuldade em respirar e tonturas. Em casos graves, pode ocorrer choque anafilático. É importante notar que, embora as alergias ao citrato de magnésio sejam raras, elas ocorrem ocasionalmente. Por isso, é sempre boa ideia consultar um médico antes de iniciar qualquer novo suplemento.

Alergia a suplementos de proteínas

Os suplementos de proteínas são uma ferramenta popular para quem procura ganhar massa muscular. No entanto, podem causar alergias em algumas pessoas, porque este tipo de suplementos contêm frequentemente ingredientes derivados de alimentos comuns que causam alergias, como o leite, os ovos e a soja.

Se for intolerante à lactose, deve ter em atenção que, por vezes, estes suplementos contêm ingredientes lácteos, como soro de leite ou caseína, que podem desencadear uma intolerância às proteínas.

Os sintomas de uma alergia aos suplementos de proteínas vão desde reações leves, como erupções cutâneas, inchaço, problemas de estômago, dificuldade em respirar e tonturas, a reações graves, como choque anafilático.

Alergia a multivitamínicos

As multivitaminas são uma opção para complementar a dieta e garantir um fornecimento completo de vitaminas e minerais. Embora muito raros, estes tipos de suplementos também podem desencadear reações alérgicas.

Foram observadas reações relacionadas com as vitaminas B1, B2, B6, B12, D, K e ácido fólico. Os sintomas incluem erupção cutânea, dermatite de contacto, inchaço, dificuldade em respirar e tonturas. Tal como acontece com outros suplementos, em casos mais graves, a alergia a um multivitamínico pode desencadear um choque anafilático.

É importante lembrar que os suplementos são seguros, embora ocasionalmente algum dos seus ingredientes possa causar uma reação alérgica. Por isso, é fundamental que as pessoas que sofrem de algum tipo de alergia alimentar consultem o seu médico antes de tomarem um suplemento alimentar.

Suplementos que ajudam a combater as alergias

Os suplementos alimentares também podem ser uma ferramenta muito benéfica no combate às alergias. Ter uma dieta variada e equilibrada é fundamental para fortalecer o nosso organismo e o nosso sistema imunitário. Mas tal como não existe um único alimento ou grupo de alimentos que previna as alergias, também não existe um único suplemento alimentar que o faça. No entanto, algumas substâncias podem ajudar a reduzir a ocorrência de alergias, uma vez que possuem determinadas propriedades anti-histamínicas.

A vitamina C, presente de forma natural nas frutas e vegetais, é um poderoso antioxidante que ajuda a regular a resposta do sistema imunitário ante uma reação alérgica. A vitamina B6 também pode ajudar a controlar as reações imunitárias e a reduzir a inflamação causada pelas alergias.

As bactérias lácticas têm um efeito probiótico e promovem o equilíbrio da microbiota intestinal, ajudando a reduzir a inflamação associada às alergias. Outro elemento que pode ser benéfico no combate às alergias é o Ómega 3, um tipo de ácido gordo que ajuda a reduzir a inflamação e melhora o funcionamento do sistema imunitário.

É importante lembrar que estes suplementos podem ajudar a combater os sintomas das alergias, mas não os eliminam. Se tem alergias, é importante consultar um médico para obter um diagnóstico e tratamento adequados.

Em última análise, embora os suplementos possam oferecer inúmeros benefícios para a saúde, também podem causar alergias em algumas pessoas. Por isso, se está a pensar começar a tomar um suplemento alimentar e tem alergias, procure primeiro o conselho de um especialista de saúde.

Deve ler cuidadosamente todas as informações constantes da embalagem do medicamento e do seu folheto informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, deve consultar o seu médico ou farmacêutico.