Saltar al contenido
Alergia aos acaros

Alergia aos ácaros: desmontando mitos

Da mesma forma que em qualquer outra doença, a rapidez com que uma alergia é diagnosticada aumenta as probabilidades do tratamento que lhe for aplicado ser mais eficaz. Entre as causas menos conhecidas das alergias encontram-se os ácaros, que costumam viver entre o pó. Por isso, perante o panorama de desinformação que existe, é necessário acabar com certos mitos que rodeiam a alergia aos ácaros.

Principais mitos sobre a alergia aos ácaros

Os ácaros são uma das principais causas das reações alérgicas, já que se trata de um alergénio muito importante e que habita no interior das casas durante todo o ano. A má informação que existe à volta da alergia aos ácaros por parte dos cidadãos acentua- se quando esta está assente sobre certos mitos que é necessário erradicar da crença popular:

1. A alergia aos ácaros não é perigosa

Este é um dos pensamentos mais habituais entre a população. Contudo, a verdade é que é capaz de afetar a saúde alterando a qualidade de vida daqueles que sofrem deste tipo de reações. Além disso, os episódios de asma graves são considerados uma das reações mais difíceis de controlar das que podem ocorrer entre os pacientes alérgicos.

2. Podem-se ter animais de companhia em casa

Um dos mitos mais frequentes reside na crença popular de que, ainda que possa sofrer de alergia aos ácaros, pode ter qualquer tipo de animal de companhia em casa. Contudo, o mais aconselhável seria não ter em casa animais de companhia que tenham pelo ou pena, já que os ácaros se alimentam dos restos que procedem das pessoas e dos animais como as escamas da pele ou a pelagem animal.

3. O pó da rua e das obras também causam alergia aos ácaros

Os ácaros só conseguem sobreviver sob condições ambientais específicas totalmente afastadas do sol e da secura produzidas por este. Se a temperatura rondar os 20 / 23 oC e existir uma percentagem elevada de humidade estão reunidas as condições perfeitas para a proliferação destes alergénios e costumam ocorrer em locais escuros, húmidos e fechados, espaços que existem em abundância no interior das habitações.

Os ácaros não habitam no pó da rua, da areia e das obras. Não obstante, este tipo de pó pode causar sintomas respiratórios incómodos devido à irritação direta que ocorre nas vias e mucosas, mas não através do sistema imunológico, como é o caso da alergia aos ácaros.

4. Este tipo de reações aumenta no outono e primavera

Este pensamento é comum entre as pessoas alérgicas aos ácaros e na realidade estas reações podem afetar quem sofre delas em qualquer estação do ano, sempre e quando se derem as condições ambientais necessárias. Uma casa que não esteja bem ventilada, na qual vivem animais de companhia ou que apresente problemas de humidade será um núcleo de ácaros inclusive nos meses de verão. Dessa forma, um inverno que se caracterize por apresentar chuvas abundantes será pior para as pessoas alérgicas que um outono seco.

5. Tomar medidas de prevenção ambiental evita a alergia aos ácaros

Mesmo que as ações de limpeza no interior da casa sejam extremas, é impossível eliminar completamente os ácaros do seu interior. As medidas de prevenção podem ser benéficas perante o aparecimento de patologias como a asma, mas não são de grande utilidade no momento de prevenir que uma pessoa não alérgica desenvolva uma reação alérgica aos ácaros.

 

PT-N-ZI-ALY-1900012