Saltar al contenido
Alergia pólen oliveira

Alergia ao pólen da oliveira: sintomas, diagnóstico e tratamento

Os altos n√≠veis de p√≥len da oliveira costumam agravar os sintomas das pessoas com alergias na zona mediterr√Ęnica, geralmente na segunda fase da primavera. Esta √°rvore, que cresce em diferentes pa√≠ses mediterr√Ęnicos, como a Gr√©cia, Marrocos, It√°lia, Espanha ou Portugal entre outros, pode afetar grande parte da popula√ß√£o destes pa√≠ses, gerando principalmente rinite e asma br√īnquica. Descubra todos os detalhes da alergia a este p√≥len t√£o comum nos pa√≠ses europeus da zona mediterr√Ęnica.

De onde vem o pólen da oliveira?

O p√≥len da oliveira vem, como o seu nome indica, da √°rvore da oliveira (olea europaea) e pertence √† fam√≠lia das ole√°ceas. √Č uma √°rvore que resiste muito bem em zonas secas e ambientes quentes. Um aspeto de destaque √© a significativa capacidade aerovagante do seu p√≥len, ou seja, o p√≥len da oliveira √© transportado com muita facilidade pelo ar.

Quando é o período da polinização?

O período da polinização ocorre entre os meses de abril e julho (mais predominante entre maio e junho). Embora desde o mês de fevereiro, as pessoas com alergia ao pólen da oliveira também devem estar atentas a outras árvores da mesma família, como por exemplo, o freixo, já que possui uma proteína muito semelhante.

Como aparece a alergia à oliveira?

A deteção desta alergia (mais especificamente do agente causador da alergia), foi conhecida há poucos anos, na década de 90. Apesar de ser uma árvore frutífera com séculos de história, só foi nesta data quando o alergénio foi cientificamente detetado.

Regra geral, as pessoas afetadas pela alergia à oliveira apresentam sintomas ao contacto com a proteína Ole e 1, mas atualmente existem cerca de 12 registadas que podem causar alergias. Duas das que produzem os sintomas mais graves são a 7 e a 9.

Sintomas comuns

A alergia ao p√≥len da oliveira, como acontece com as outras alergias, √© causada por uma rea√ß√£o exagerada do sistema imunit√°rio √† prote√≠na em quest√£o. No caso do alerg√©nio da oliveira, os sintomas come√ßam a aparecer quando o n√≠vel de p√≥len est√° acima dos 500 gr√£os de p√≥len por metro c√ļbico.

Em rela√ß√£o √†s rea√ß√Ķes, embora possam variar muito de uma pessoa para outra, estes s√£o os sintomas mais comuns:

  • Comich√£o nos olhos e tamb√©m no nariz. Espirros e mucosidade nasal.
  • Dermatite at√≥pica e irrita√ß√£o na pele.
  • Problemas relacionados com a asma br√īnquica (tosse, sibil√Ęncias…)
  • Em alguns casos pode gerar inc√≥modos a n√≠vel intestinal.

Pode existir reação cruzada com o fruto (azeitona)?

As rea√ß√Ķes al√©rgicas cruzadas ocorrem entre o p√≥len e algum tipo de alimento vegetal (frutas, verduras ou frutos secos), mas no caso do p√≥len da oliveira n√£o costuma haver rea√ß√£o com a ingest√£o do seu fruto, nem com o azeite, ainda que n√£o seja imposs√≠vel. Nos casos de rea√ß√£o cruzada, os sintomas aparecem a n√≠vel cut√Ęneo e gastrointestinal.

Conselhos para evitar os sintomas relacionados com a alergia ao pólen da oliveira

Além dos tratamentos recomendados para conter a alergia com anti-histamínicos ou vacinas específicas, também existem algumas medidas preventivas para reduzir os sintomas como:

  • Nos dias de poliniza√ß√£o m√°xima, evitar atividade e exerc√≠cio ao ar livre, sobretudo em √°reas pr√≥ximas de oliveiras e em dias de muito vento.
  • Se sair for inevit√°vel, √© recomend√°vel usar √≥culos de sol e m√°scara para evitar a entrada de p√≥len no organismo.
  • Nas viagens de carro, feche sempre as janelas e, se poss√≠vel, inclua filtros antip√≥len nas grelhas de ventila√ß√£o.
  • Em rela√ß√£o aos cuidados pessoais, o mais aconselh√°vel √© beber muita √°gua e seguir uma dieta rica em vitaminas, antioxidantes e fibras para cuidar da

pólen da oliveiraPT-N-ZI-ALY-2200020