Skip to content
tinta de parede alergia

Alergia à tinta de parede: o que a causa e quais são os seus sintomas?

Pintar a casa é uma das tarefas que mais nos entusiasma quando vamos para uma nova casa ou quando queremos remodelar a nossa própria. No entanto, algumas pessoas sofrem reações alérgicas quando entram em contacto com tinta de parede. A grande questão que se coloca é porque ocorre este tipo de alergia e como se manifesta. Deve-se notar que a tinta que é utilizada para pintar as paredes das casas é composta por determinadas substâncias químicas que podem causar reações alérgicas em algumas pessoas.

O cheiro forte, os materiais artificiais, a grande quantidade de produto aplicado… Estes fatores, juntamente com os significativos componentes químicos contidos nas tintas, são apenas algumas das principais causas de alergia a este produto. Uma alternativa que tem cada vez mais adeptos é a utilização de tintas hipoalergénicas, nas quais os compostos e aditivos químicos são dispersos na água. Mas como pode identificar se tem alergia a tinta de parede? Descubra no nosso último post!

Porque ocorre alergia à tinta de parede?

Como mencionámos acima, as tintas de parede são elaboradas a partir de determinadas substancias químicas que podem causar reações alérgicas. Uma das mais comuns é o acrilato, uma molécula utilizada no processo de polimerização para criar determinados materiais, tais como a tinta. De facto, o acrilato de etilo é uma resina acrílica comum utilizada em tintas e outros materiais, como látex e o betume.

Por outro lado, a alergia à tinta de parede também pode ser causada por um composto químico presente na tinta ou o corante utilizado para tingir cada tinta. Uma das substâncias mais comuns é a parafenilenodiamina, muito utilizada nas tintas industriais e corantes.

Alergias causadas pela tintas de cabelo

Compostos orgânicos voláteis: o que são?

Além disso, as tintas utilizadas para interiores libertam muitas vezes, periodicamente, compostos orgânicos voláteis, cuja inalação pode causar reações alérgicas em pessoas mais sensíveis a elas. Existem mais de 300 tipos, mas os mais comuns são o formaldeído, o terpeno e o benzeno.

Atualmente, existem muitas tintas com uma quantidade inferior a 5 g/l de compostos orgânicos voláteis, que são as mais recomendadas para pessoas com alergia a vernizes e tintas industriais.

Neste sentido, existe um regulamento europeu que especifica a quantidade máxima de compostos orgânicos voláteis que uma tinta pode conter. No caso de tintas à base de água, a quantidade máxima pode ser de até 30 gramas. Para tintas solventes, por outro lado, pode ir até 250 gramas por litro.

➜ Pode também estar interessado em: alergia aos produtos de limpeza.

Sintomas mais comuns de alergia à tinta de parede

Reconhecer a alergia à tinta de parede é relativamente simples, embora possa causar diferentes tipos de sintomas.

Manifestação dérmica

Uma das formas mais comuns em que a alergia à tinta de parede se manifesta é na própria pele, através de sintomas como os seguintes:

  • Urticária e sensação de comichão
  • Vermelhidão
  • Erupções cutâneas

 Sintomas de irritação

Também é comum que as pessoas que têm alergia à tinta de parede ou a determinado tipo de vernizes tenham sintomas como:

  • Comichão na garganta
  • Irritação nos olhos
  • Secreção lacrimal excessiva

Outros sintomas

Para além das manifestações cutâneas ou irritação, nos casos mais graves também podem ocorrer sintomas como:

  • Tonturas
  • Tosse excessiva
  • Dificuldade respiratória
  • Dor de cabeça
  • Problemas de visão

Conselhos para reduzir o risco de alergia à pintura

Se precisar de pintar a sua casa, mas sofre de reações alérgicas à tinta de parede, é do seu interesse saber como pode minimizar o risco e a exposição às substâncias químicas alergénicas.

  1. Em primeiro lugar, deve proteger-se e utilizar luvas, máscara e roupa adequada que cubra a sua pele e que impeça o contacto físico com a tinta. Desta forma, evitará reações de caráter atópico, como a vermelhidão da pele ou o aparecimento de erupções cutâneas. Além disso, é aconselhável utilizar tintas hipoalergénicas ou ecológicas, nas quais não existam compostos químicos que possam causar alergias.
  2. Atualmente existe uma grande variedade de tintas feitas à base de óleos e compostos vegetais em que o conteúdo dos compostos orgânicos voláteis é mínimo. Estas tintas devem ter a certificação A+, o distintivo que lhe garante que está a escolher uma tinta com estas características.
  3. Dessa forma, é importante manter uma boa ventilação enquanto estiver a pintar uma divisão. Assim, evita concentrações elevadas de partículas nocivas que podem agravar a reação alérgica.

Deve ler cuidadosamente todas as informações constantes da embalagem do medicamento e do seu folheto Informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, deve consultar o seu medico ou farmacêutico.