Saltar al contenido

A alergia no inverno

A chegada do inverno tem sempre implícito um aumento dos sintomas típicos das alergias respiratórias. Ao frio devemos juntar a má ventilação dos espaços e a humidade, outra das causas das alergias. Quando as temperaturas descem, acontece algo lógico: as pessoas fecham as janelas para se protegerem do frio em casa, mas com isso também estamos a deixar que os alergénios fiquem no interior das casas, como os ácaros ou o bolor.

As alergias não desaparecem no inverno

A congestão e a obstrução nasal, os espirros, a lacrimação… são apenas alguns dos sintomas mais comuns da rinite alérgica ou da asma, que se acentuam no inverno. Além do frio, aparece a má ventilação dentro dos espaços fechados. Essa falta de ventilação, somada à humidade própria da estação, favorece o aparecimento e a proliferação de outras alergias causadas por fungos ou ácaros.

Por esse motivo, é muito importante prestar atenção especial às divisões ou áreas da casa onde é mais propício o crescimento de humidades e fungos, pois são estes os focos que favorecem o aparecimento de reações alérgicas nesta época do ano. Conselho: preste atenção especial aos cantos dos quartos e ao rebordo das janelas para que o seu quarto fique livre de humidades e possa descansar.

Por outro lado, o pólen também está muito presente no inverno, ao contrário da crença de que só ocorre na primavera. Durante os meses de janeiro, fevereiro e início de março, ocorrem muitas das reações alérgicas ao pólen provocadas pelas cupressáceas, como ciprestes e arizónicas. Cada vez são mais os jardins das casas ou parques que possuem estes arbustos, fazendo com que o número de pessoas afetadas por alergias no inverno aumente todos os anos.

Alergia ou constipação?

Geralmente as alergias e as constipações costumam apresentar sintomas muito parecidos. Sobretudo no início de uma constipação pode ser difícil diferenciá-la de um surto de rinite alérgica.

Algumas pistas que nos farão dissipar as dúvidas é verificar se os espirros, rinorreia e congestão ocorrem da mesma forma dentro e fora de casa (na alergia ao pólen ocorre mais fora de casa), se são mais persistentes ao longo do dia (se falarmos de alergias são intermitentes, dependendo da exposição-) e se a evolução ao longo de um ou dois dias desencadeia um muco mais espesso, por vezes amarelado ou esverdeado (constipação). Outra forma muito útil de estudar os sintomas é observar se a reação reaparece e piora, coincidindo com os picos de polinização. No caso de se tratar de uma alergia aos ácaros ou à humidade, podemos observar se piora dentro de casa ou à noite e se há melhoria fora de casa.

Como podemos combater os sintomas no inverno?

  • Ventilação correta na casa. É fundamental renovar o ar dentro das casas para evitar que os alergénios se concentrem. O mais adequado é fazê-lo à primeira hora do dia.
  • Evitar locais fechados com humidade.
  • Limpar o pó de casa regularmente, especialmente em objetos que acumulem mais pó.
  • Utilizar desumidificadores. Retiram a humidade do ambiente, desidratando o ar e criando um ambiente mais seco e livre de humidades.
  • Limpar com frequência os filtros de ar do aquecimento ou desumidificador.
  • A casa de banho deve estar o menos húmida possível (chão, toalhas, etc.).
  • Ao regressar a casa, é importante retirar a roupa e tomar banho.
  • Evitar fazer exercício ao ar livre em dias de muito vento.

 

PT-P-ZI-ALY-2000076